Hospital Gastroprocto e você juntos na prevenção do câncer de intestino

Por que Maio Roxo?

O dia 19 de maio é dedicado mundialmente à conscientização das doenças inflamatórias intestinais. Diante de tamanha importância do assunto, o mês inteiro acabou se tornando o Maio Roxo, para alertar e prevenir as pessoas sobre essa enfermidade. Assim como acontece com o Março Azul, outubro rosa e novembro azul, o movimento mundial ilumina diversos monumentos com a cor roxa, para reforçar a todos que devemos sempre cuidar da nossa saúde, com o foco em

O que é a doença inflamatória intestinal (DII)?

É um termo mais abrangente para descrever distúrbios que envolvem a inflamação crônica do aparelho digestivo. Os tipos mais comuns dessa doença são:

  • Colite Ulcerativa
    Uma condição que provoca inflamação de longa duração e feridas, conhecidas como úlceras, no revestimento interno do intestino grosso e reto.
  • Doença de Crohn
    Uma inflamação crônica que pode ocorrer em qualquer parte do tubo digestivo, sendo mais comum na parte inferior do intestino delgado e intestino grosso.
  • Câncer Colorretal
    É um tumor que se desenvolve no intestino grosso, isto é, no cólon no reto. Estudos indicam que há maior risco de câncer colorretal em pacientes com doenças inflamatórias intestinais quando comparados à população em geral.

Quais são as causas?

As doenças inflamatórias intestinais não possuem uma causa definida, alguns estudos indicam que podem estar associadas a fatores como consumo exagerado de comidas industrializadas e com o alto índice de gordura, questões hereditárias e o mau funcionamento do sistema imunológico.

Quais são os sintomas?

Os sintomas podem variar, dependendo da gravidade da inflamação e onde ela ocorre. Quanto mais cedo forem diagnosticadas as doenças, melhores são as chances de um tratamento adequado e com menos impacto nas atividades diárias.

Sinais e sintomas comuns às doenças inflamatórias intestinais são:

  • Febre;
  • Fadiga;
  • Náusea e vômitos;
  • Sangue nas fezes;
  • Dor abdominal e cólicas;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Fístulas e fissuras anais crônicas; 
  • Apetite reduzido e perda de peso.

Lembre-se: qualquer sintoma que você sentir, procure um médico especializado.

Quais são os fatores de risco?

Existem alguns fatores de risco que ajudam a contribuir para o aumento das doenças inflamatórias intestinais em nosso corpo, como por exemplo:

Fumar: o tabagismo é o mais importante fator de risco controlável para o desenvolvimento das doenças inflamatórias intestinais.

Histórico familiar: se houver um parente próximo, como pai, mãe e irmãos com a doença, você possui um pouco de risco de no futuro também desenvolver.

Idade: elas podem se desenvolver em pessoas a partir dos 30 anos ou simplesmente não surgir até os 50/60 anos.

Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides: estes incluem o Ibuprofeno, Naproxeno sódico, Diclofenaco de sódio e outros. Eles podem aumentar o risco de desenvolver a doença ou piorar em pessoas que já possuem.

Fator ambiental: até mesmo o ambiente pode influenciar. Se você mora em um país industrializado, que inclui uma dieta rica em gordura e alimentos processados e ultraprocessados, eles podem acabar influenciando o surgimento das doenças inflamatórias intestinais.

Quais os exames que devem ser feitos para o diagnóstico da doença?

  • Colonoscopia;
  • Anatomopatológico;
  • Cápsula endoscópica;
  • Calprotectina;
  • Ultrassom de abdômen total + ultrassom do trato gastrointestinal com doppler colorido;
  • Exame clínico.

Como prevenir as doenças inflamatórias intestinais?

Por ser doenças que não se sabe ao certo quais são suas causas, não existe uma prevenção mais específica para elas. Sendo assim, as recomendações são sempre cuidar da nossa saúde tomando atitudes já conhecidas por todos, como:

 

  • Realizar consultas médicas e exames periódicos;
  • Praticar atividade física;
  • Consumir frutas, verduras e legumes todos os dias;
  • Consumir cereais integrais como arroz, pães, aveia, cevada e outros;
  • Beber pelo menos dois litros de água por dia;
  • Reduzir o consumo de carnes vermelhas;
  • Evitar carnes salgadas e processadas como mortadela, presunto, bacon, linguiça, salsicha e outros embutidos e defumados.
  • Não consumir bebidas alcoólicas
  • Não fumar

Quais os exames que devem ser feitos para o diagnóstico da doença?

  • Colonoscopia;
  • Anatomopatológico;
  • Cápsula endoscópica;
  • Calprotectina;
  • Ultrassom de abdômen total + ultrassom do trato gastrointestinal com doppler colorido;
  • Exame clínico.

Ou seja, o melhor tratamento ainda é a prevenção. Portanto, não deixe de manter o acompanhamento médico e os seus exames em dia!

Localização

Telefone: +55 (84) 3611-1516
Rua Apodi, 596 – Tirol, Natal – RN | 59020-130

Confira nosso Instagram!